Notícias

joaquim-modesto-fotoAs crises atuais, enfrentadas por diversos segmentos da sociedade, em especial a brasileira, deixa claro sua fundamentação: a qualidade dos governantes. Mas porque só os governantes? Não seria também o cidadão comum responsável por uma parcela de tal situação?
A sociedade, a meu ver, está alicerçada em três grandes pilares: A Educação, a Família e a Religião. Quando uma deles está frágil, a Sociedade produz cidadãos frágeis naquele aspecto. Agora imagine se os três não atuam de forma eficiente para formar o caráter dos homens que a constituem, certamente teremos um colapso Social, que se alastrará, como um câncer em seu meio.

Gostaria de tecer meus comentários sobre todos, mas como o espaço é curto, me aterei ao primeiro, e na minha visão, o mais importante dos três, a Educação, deixando os demais para uma nova oportunidade.
Mesmo elegendo o tema Educação, o assunto é vasto, então vamos nos focar a um dos vários pontos importantes, que o assunto nos trás, a Leitura.
A leitura se consiste numa viagem por um horizonte ilimitado, que é um instrumento agradável e verdadeiro gerando Conhecimento. É um ato crítico, onde o leitor cria uma posição ativa no que está lendo, independente da expressão de um autor específico. Tal ato crítico é rejeitado pelas elites governantes, cujo desejo é o de manipular as massas e alienar os seus pontos de vista sobre o sistema, que geri a sociedade como um todo.
O Ato de ler é uma atividade reflexiva e crítica, em que o leitor tenta buscar a essência de seu significado, medindo-o através de sua vivencia e conhecimento individual, o que faz ampliar sua visão e acelerar seu desenvolvimento.

A falta de interesse pela leitura é um problema sério, porque ela gera a  falta de informação, além de levar o individuo à preguiça mental, conduzindo a formação de um cidadão alienado e manipulável, o que reflete em uma humanidade caótica social e culturalmente.

A leitura cria um olhar holístico sobre o conhecimento dos indivíduos de uma sociedade. É através do hábito de ler, que o individuo adquire e pratica o conhecimento, desenvolvendo-se nas etapas da aprendizagem. Isso irá afetar o seu desempenho, formando um individuo qualificado, e, em consequência, um cidadão de bem.

A leitura, juntamente com o hábito de ler, deve ser a principal função da escola, encorajada e complementada pela Família, que também tem um papel fundamental na criação de novos leitores. Já dizia o ditado: “Em casa de pais leitores, filhos leitores!”.

A Leitura é o instrumento que permite ao aluno o seu autoconhecimento, transformando-o no autor de sua própria história, na construção do cidadão do futuro, que alimentará uma sociedade melhor.

Segundo Paulo Freire: “O ato de ler no mundo vem diretamente da leitura da palavra e é esta leitura, que proporciona a transformação da leitura nos indivíduos…” (A importância do Ato de Ler em três artigos que se completam, editora Cortez, 1921, 23ª edição).

Podemos dizer, também, que a leitura, de alguma forma, vem da “escrita” e “reescrita”, ou seja, provoca transformações através das atitudes conscientes da nossa prática. Ler é um instrumento de produção e reprodução, o que o torna um patrimônio individual, onde os indivíduos são transformados em cidadãos, proporcionando as mudanças necessárias, e desejadas, na sociedade em que vivem. E necessário reconhecermos que a literatura é um instrumento valioso para o desenvolvimento da democracia. A sociedade, em especial os gestores educacionais, deve estar envolvida diretamente nos benefícios trazidos pela literatura. Com ela, criam-se atitudes de respeito, solidariedade, sentimentos de valorização dos laços familiares, e ajuda o ser humano a satisfazer as suas necessidades de segurança, emocional, espiritual e intelectual.
A preocupação com a literatura na educação básica deve estar presente desde o primeiro dia de aula, visando o desenvolvimento de habilidades, sempre sob uma supervisão, seja linguística ou literária.

O método da leitura, na imaginação humana, é algo extremamente complexo. É impossível entendê-lo, apesar de todo o conhecimento acumulado, mas a influência e as consequências da literatura na edificação do conhecimento e da ciência é notória. Ela é uma fonte inesgotável de conhecimento, visto que não lemos apenas as palavras, os textos e os livros; lemos a sociedade como um todo.

Por J. Modesto*


*Escritor, Administrador, Palestrante, Arquiteto e Urbanista pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo e Empresário.